No ano em que completa cinco décadas de história, o Hospital São José (HSJ), recebeu, no dia 8 de novembro de 2020, a homenagem internacional Hand Medal Project, uma iniciativa global de valorização dos profissionais que atuam na linha de frente na pandemia de Covid-19. O HSJ foi escolhido como representante cearense nesse momento de agradecimento que aconteceu em 66 países.

“A ação é uma oportunidade de homenagear aqueles que estão colocando a própria vida em risco para ajudar o próximo, pois estão todos trabalhando incansavelmente na linha de frente”, afirma Telma Aguiar, designer de joias que integra uma rede global de 145 joalheiros e demais artistas voluntários. Ao todo, foram produzidas mais de 70 mil medalhas. “A inspiração para estas medalhas foi o ex-voto, uma oferenda tradicional que é dada aos santos quando eles atendem ao nosso pedido. Este projeto é uma forma de continuar a longa tradição de entregar a alguém especial um símbolo de gratidão por uma graça concedida”, detalha Telma, que encabeça a homenagem no HSJ em conjunto com o também designer de joias Cláudio Quinderé. 

Sobre a escolha do Hospital São José, Telma aponta: “O HSJ é uma referência em infectologia. Há tempos acompanho as ações do HSJ através de notícias em veículos de comunicação e fiquei muito feliz em descobrir que, em 2020, o São José comemora 50 anos cuidando dos cearenses”.

Entre os profissionais da unidade de saúde, o clima é de gratidão. “O HSJ fica muito feliz em ser selecionado para que essas medalhas possam ser distribuídas para os profissionais da nossa unidade, que, independentemente do setor, têm papel importantíssimo em toda essa cadeia de funcionamento. Sem a integração de todos os setores, a eficiência da assistência médico-hospitalar não existiria. Ela só existe porque existe essa intersecção de todos os setores”, afirma Edson Buhamra, diretor geral do HSJ.

 

HAND MEDAL PROJECT

O projeto foi idealizado pelas artistas Iris Eichenberg (Alemanha) e Jimena Ríos (Argentina), que já haviam colaborado na exposição True is the Done: Ex-votos and Contemporary Jewelry, que estreou em 2019 em Buenos Aires e se inspirou também nesses objetos devocionais que materializam um agradecimento ou um desejo.

O Hand Medal Project mobilizou joalheiros e conduziu a confecção das medalhas entre os meses de abril e outubro deste ano. Todas as peças estão sendo entregues para os chamados “hand keepers”, um grupo de voluntários responsáveis por monitorar a produção e conferir a qualidade das medalhas produzidas. No dia 8 de novembro, os hand keepers fizeram a entrega das medalhas aos “hand givers”, profissionais de saúde convidados pelo projeto e que serão responsáveis por entregar as medalhas aos homenageados nos hospitais.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

RELATOS DE QUEM FAZ O SÃO JOSÉ

Marli Rocha

Gestora de Contabilidade do Hospital São José 

Funcionária do HSJ desde 1974

“Estou no São José há 46 anos e a evolução aqui é muito visível. Quando eu entrei, o hospital era muito pequeno, os setores eram bem reduzidos. Durante essa trajetória, tudo foi ampliado e os serviços passaram a atender mais e mais pessoas. Esse crescimento não é só na área física e na quantidade de funcionários, nós, que fazemos o HSJ, também crescemos. Mudaram as formas de trabalhar, os processos foram atualizados, mas apareceram programas de formação para a gente, fomos estimulados a se adaptar e crescer junto com o hospital. Desde o começo, trabalhei no setor administrativo e sempre defendo a importância de valorizar esse setor, porque é uma área essencial para que tudo funcione bem. Nós fazemos os controles de orçamento, de compras e de tudo que é necessário para que o São José trabalhe bem por esses 50 anos. Na pandemia, o hospital deu uma importante contribuição para o Estado. Fomos todos para a linha de frente para tentar fazer tudo acontecer da melhor maneira possível.

 

Luzia Soares

Enfermeira coordenadora da Unidade C

Funcionária do HSJ desde 2015

“Eu me sinto muito orgulhosa por fazer parte do quadro de funcionários do HSJ, que está de parabéns pelos 50 anos.  É importante para o Estado ter um hospital como esse responsável por receber pacientes com doenças infecto-contagiosas de todo o Estado. Os pacientes são atendidos aqui com muita excelência, competência e qualidade, pois temos no quadro de funcionários muita gente competente. Em 2020, tem sido muito desafiador enfrentar a pandemia, porque é uma doença muito complicada, surgiu como uma coisa muito nova e a gente passou por muito sufoco com tantos pacientes dependendo da gente. Eu acredito que foi uma situação chocante para todo o mundo e aqui, no HSJ, todos se mobilizaram para atender de modo eficiente e humanizado. Nós cuidamos de pacientes que, muitas vezes, pediam socorro, você via no semblante as pessoas com medo de morrer. O que mais me marcou nisso tudo foi acompanhar as altas dos pacientes, a gente celebrava muito, todo mundo se reunia, batia palmas, era uma vitória não só para eles, mas também  para todo o Hospital São José. Estou muito feliz por trabalhar aqui e a agradeço muito por tudo. 

 

Nadirlan F. Fontinele

Diretor administrativo-financeiro do HSJ 

Funcionário do HSJ desde 2019

“O Hospital São José chega aos 50 anos com um nível de maturidade institucional e um posicionamento muito bem estabelecido perante a sociedade. Nós, como gestores, temos a necessidade constante de seguir trabalhando pelo bem estar do nosso paciente, sempre procurando soluções para aprimorar essas necessidades, inclusive, de estrutura física. Este ano, nós podemos já traçar algumas ações que foram realizadas e que colaboraram para a evolução da estrutura física do hospital. Há uma tendência natural de que, nos próximos meses, essas ações possam avançar ainda mais para que possamos melhorar mais e mais o atendimento do nosso paciente. O hospital chegou aos 50 tendo um longo caminho a percorrer pela frente, mas que esse caminho já está muito bem traçado, planejado. 2020 nos trouxe uma série de necessidades emergenciais não planejadas, mas grande parte dessas problemáticas conseguiram ser resolvidas com um mérito muito grande do profissional. Os profissionais do HSJ provaram, mais uma vez, que têm um desempenho excelente”. 

 

Lúcia Bezerra

Gerente de Serviços Gerais

Funcionária do HSJ desde 1973

“Quando eu cheguei, o Hospital São José ainda era um hospital bem primitivo, com poucos pacientes e ainda não existia visita de familiares. As doenças eram tétano, difteria, sarampo e outras que apavoravam as pessoas, mas, desde o começo, eu não tive medo e precisei ser muito destemida. Comecei muito jovem, foi meu primeiro trabalho e eu iniciei na portaria, lidando com pacientes, recebendo, fazendo fichas. Nessa época, não tinha Serviço Social, a gente que recebia e encaminhava, então, eu aprendi muito com os médicos e enfermeiros na prática do dia a dia. As pessoas têm muito compromisso aqui no São José, fazem as coisas por amor mesmo e isso me motivou a ser muito comprometida com a instituição desde sempre. O hospital foi crescendo e, em 1986, recebi o convite do Dr. Anastácio Queiroz para ser gerente de Serviços Gerais, eu fiquei muito surpresa, mas enfrentei e enfrento esse desafio. Procuro sempre fazer o melhor pela instituição, sempre me colocando no lugar do outro e é isso que tento passar para as pessoas que trabalham comigo: fala que a instituição existe por causa dos pacientes. Nosso papel aqui é cuidar, tratar bem, prestar um serviço com qualidade. Trabalhar no São José me traz uma lição muito boa na minha vida. Eu aprendo muito e cresço profissionalmente, espiritualmente ao lado das pessoas que fazem o Hospital São José.

 

Marcus Vinicius Pessoa de Castro

Gerente do Setor de Licitação/Compras

Funcionário do HSJ desde 1996

“O Hospital São José é diferenciado. Aqui os servidores são vistos com outros olhos pelas gestões, os diretores têm as portas abertas para ouvir e dialogar com todos e essa abertura ajuda muito a resolver os problemas do dia a dia. Esse tratamento diferenciado chega também até os nossos pacientes, que são muito bem tratados e têm um atendimento humanizado. Com a pandemia da Covid-19, o HSJ ficou muito coeso, todos se integraram com um objetivo comum. Os servidores todos atuaram com muita dedicação, houve uma doação sem limites para que os pacientes fossem atendidos e toda a estrutura administrativa funcionasse bem. Todos deram o melhor de si diante desse desafio e foi uma grande prova da coesão desse hospital. De quando eu cheguei, há mais de vinte anos, até agora, eu percebi que os profissionais do São José se qualificaram muito, os processos todos estão evoluindo cada vez mais. O HSJ chega aos 50 anos com muitas melhorias, que eu desejo que só cresçam nos próximos anos”.