De 1970 a 2020, o Hospital São José de Doenças Infecciosas (HSJ) viu o mundo se transformar e se atualizou junto. A unidade da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (Sesa) é reconhecida por seu potencial em enfrentar desafios – seja uma pandemia como essa de Covid-19 que vivemos atualmente ou no atendimento cuidadoso de pacientes com enfermidades marcadas por preconceitos. E, apesar das dificuldades constantes, muitas foram as evoluções e muitos são os motivos pra comemorar.

O HSJ tem como missão assegurar um atendimento humanitário e de qualidade no diagnóstico, tratamento, ensino e pesquisa de doenças infecciosas. Quando nasceu, há cinco décadas, era um espaço mais restrito e marcado pelo isolamento dos pacientes, que não podiam receber visitas e tinham de enfrentar as enfermidades com poucas ferramentas de tratamento disponíveis. Havia a necessidade, no Ceará, de uma unidade que agregasse doenças transmissíveis e tratasse esses casos com a atenção necessária.

O nome da instituição inicialmente era Hospital São José de Doenças Transmissíveis Agudas e a primeira década foi marcada pela internação de pacientes portadores de doenças como tétano, raiva humana, difteria, coqueluche, febre tifóide, meningite, tuberculose e hepatites virais. Com o advento das vacinas, começaram a diminuir alguns casos de determinadas enfermidades e o Hospital seguiu se especializando, na busca pela melhor forma de tratamento. 

Com o aparecimento da AIDS, na década de 1980, o HSJ soube bem acolher esses pacientes, tornando-se, por muito tempo, a única unidade a atender pessoas soropositivas no Estado. As primeiras pessoas atendidas com Síndrome da Imunodeficiência Adquirida no HSJ foram em 1986 e, desde então, essa é a patologia de maior prevalência no perfil atendido pela unidade hospitalar. Com a doença, veio o estigma e o Hospital entrou de cabeça na luta para garantir atendimento humanizado a seus pacientes. 

Neste período, foram criadas novas unidades, um ambulatório para acompanhamento, bloco cirúrgico e central de esterilização, além das reformas como a do laboratório. Essas ações configuraram um importante salto para o bom acolhimento e atendimento da população da Capital e do Interior. Com as mudanças, já na década de 1990, a unidade passou a ter o nome atual, Hospital São José de Doenças Infecciosas, considerando que nem todas as patologias atendidas são transmissíveis e agudas. 

O HSJ ganhou destaque também pelo trabalho com ensino e pesquisa e, nessas cinco décadas, vem formando médicos infectologistas de várias instituições de ensino da Medicina do Ceará, de outros estados brasileiros e também de outros países. Ao longo do anos, o Hospital foi reconhecido por ter um dos mais modernos centros de estudos do Norte e Nordeste, chancela dada pelo Ministério da Educação, tendo também importante atuação em projetos como a Rede Rute, a Rede Universitária de Telemedicina, uma iniciativa do Ministério da Ciência e Tecnologia para aperfeiçoamento de trocas de experiências com hospitais de várias regiões do Brasil e do exterior.

Dentro da história da unidade hospitalar, outro capítulo importante diz respeito ao trabalho desenvolvido por voluntários em prol dos pacientes. O HSJ foi pioneiro no Estado nessa atividade de recrutar pessoas para o desenvolvimento de ações compartilhadas e, em sua história, tem importantes exemplos como o trabalho do Grupo Girassol, ligado à Associação de Voluntários do Hospital São José (AVHSJ).

Outro ponto positivo é a articulação ativa e direta das direções que já passaram pela unidade. Desde sua criação, o HSJ teve direção geral de Lúcio Gonçalo de Alcântara, Valdenor Benevides Magalhães, Antonio Maia Pinto, Evangelina Maria Pompeu Roberto, Maria Airtes Vitorino, Anastácio de Queiroz Sousa, Roberto da Justa Pires Neto, Tânia Mara Silva Coelho e chega aos 50 anos sob a direção de Edson Buhamra Abreu.

Atualmente, a unidade conta com cerca de 920 funcionários e reúne grande leque de serviços com ambulatórios especializados, emergência 24 horas, Unidade de Terapia Intensiva, Hospital Dia, Programa de Atendimento Domiciliar, imagenologia, laboratório, farmácia, entre tantos outros serviços. 

Perspectiva do HSJ

 

Propósito: 

Contribuir para o bem-estar e felicidade das pessoas.

 

Missão: 

Cuidar de pessoas portadoras de doenças infecciosas com excelência e geração de conhecimento.

 

Valores:

  • Resultado centrado no cidadão;

  • Humanização do atendimento;

  • Valorização das pessoas

  • Transparência;

  • Conhecimento e inovação.

Visão até 2023:

Ser reconhecido pela sociedade e comunidade científica por sua excelência no cuidado, prevenção, ensino e pesquisa de doenças infecciosas.